Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Portugal fora da Copa

Não, não estamos a falar do campeonato do mundo, o jogo ainda não começou, e a Selecção está a postes.
Mas há outras tabelas importantes que não a da FIFA.
Segundo o Relatório da Competitividade 2009 divulgado pela AIP a 11-Nov-2009, Portugal é o país da EU com menor percentagem de adultos que possuem, pelo menos, o ensino secundário completo. Entre os 24 e os 65 anos só 27% dos portugueses têm o 12º ano ou equivalente. Mesmo entre os mais novos, apenas 54,3% dos jovens portugueses dos 20 aos 24 anos têm o secundário, enquanto os outros países estão todos acima dos 60% e nove países europeus estão acima de 80%.
Mas Portugal lidera outra tabela, a do abandono escolar, com 36%, contra uma média europeia de 15%.
Este é o campeonato que conta, sem desprimor para o futebol. Mas este campeonato passa quase despercebido, sem espaço nos jornais, nem tempo de antena. Por isso precisamos de uma mobilização nacional à Scolari, um campanha com direito a cachecol e bandeiras nas janelas a favor do aproveitamento escolar das nossas crianças, e também dos adultos com força e coragem para voltar a estudar.
Entretanto, boa sorte à Selecção de futebol, e aos outros craques das salas de aula.
Fonte: DE, AIP
PISA; Razões para terminar 12º ano

29 Beijos:

Solicitador Mor disse...

Uma questão de justiça social:

1 - Devia ser criado o cheque estudante, cada aluno matriculado em qualquer estabelecimento de ensino público ou privado, não repetente, receberia um cheque de 150€ mensais;
2 - Todo o tipo de produtos destinados a crianças até aos 12 anos, estariam isentos de IVA;
3 - Todas os cidadãos ao atingirem a reforma teriam direito a 80% do seu vencimento, no entanto se tivessem tido 1 filho a reforma seria de 85%, 2 filhos - 90%, 3 filhos - 95%; 4 filhos ou mais - reforma de 100%;
4 - Famílias numerosas com necessidade de casa maior, ficariam isentas de IMT na compra de casa maior e IVVA na compra de uma carrinha com mais lugares, o IMI ficaria isento por 12 anos, depois só pagariam 50% de IMI se tivessem 3 filhos e 25% se tivessem 4 filhos;
5 - Nestes números ficariam incluídos os ascendentes com mais de 70 anos de idade que vivessem em casa dos filhos e a seu cargo. Ou seja um casal que tivesse 3 filhos e um ascendente com mais de 70 anos a viver a seu cargo, após os 12 anos de isenção de IMI, ficaria a pagar 25% do IMI indicado para aquela habitação, bem como ficaria isento do imposto automóvel na aquisição de um veículo automóvel com mais de 7 e até 9 lugares.
5 - Uma família com 3 filhos e um ascendente idoso a cargo pagaria 50% na portagem de auto-estradas com utilização de via verde.

* Por uma sociedade mais justa, solidária e que apoie a instituição família, bem como promova e acarinhe a natalidade, verdadeira sustentabilidade do Estado Social, as crianças de hoje são os contribuintes que no futuro sustentarão as reformas dos idosos.

Carlos Peixeira Marques disse...

Essa crença de que o "Estado", com o dinheiro dos desgraçados dos contribuintes, é capaz de alterar valores e estilos de vida, é completamente infundada.
Ninguém faz filhos por causa dos impostos e uma parte dos que seriam cobrados com esse suposto fim acabaria na sucata.

beijokense disse...

1 - A taxa de 36% não é de abandono escolar, é a chamada Taxa de Saída Precoce, i.e % de indivíduos entre os 18-24 que não completaram o 12.º ano e não estão na escola. Por enquanto, abandono escolar refere-se às crianças que saem da escola sem o 9.º ano.

2 - Os adultos não precisam de "voltar a estudar". Não tenho conhecimento de que no programa Novas Oportunidades se estude.

3 - @Micas10: qual é a sua proposta para que mais jovens completem, pelo menos, o 12.º? (bandeiras nas janelas e Nossa Senhora de Caravaggio não valem!)

Lagartinho disse...

Lagarto, lagarto, lagarto!

victor PEIXEIRA marques disse...

Essa da portagem é boa, todas as pessoas passariam a ter Idosos a cargo "virtualmente" para pagarem 50% nas portagens.
Ter filhos ou não, não é questão monetária, para isso basta os abonos serem "abonos a sério" e não uma fachada,de resto não é necessário fazer tantas contas complicadas,"cheques fantasma" e não sei quantas coisas mais que são apenas propaganda mas que efeitos pouco têm.

Quero crer disse...

O sucesso escolar começa em casa, no seio da família e a partir do berço.
Os pais, os mais interessados, devem acompanhar a par e passo tudo o que diga respeito à vida do filho na escola e nunca desistir de procurar melhorar o trabalho e os resultados dos filhos.
A escola não deve ser vista como um DEPÓSITO onde se largam os filhos para que alguém cuide deles durante uma boa parte do dia.

A escola, os professores, os ministérios da educação têm que, de uma vez por todas, levar uma grande volta.
Há muitos vícios, ideias velhas, anquiloses, interesses instalados que se consideram intocáveis, que impedem melhorias possíveis e necessárias, e isto em todos os níveis da escola, desde a pré-primária à universidade.

Também há experiências positivas e casos bem sucedidos. Parece-me importante pegar neles, abrir os noticiários diários com os bons exemplos. Talvez assim alguns, muitos, corassem de vergonha...

roger.a disse...

Há regras cuja fiscalização ou controle da sua correcta aplicação se apresentam pouco exequíveis.
Ainda assim, parece que havendo pouco retorno durante a vida activa aqueles que pagam impostos, seria uma boa forma de compensar na reforma o "investimento" que em certa medida tiveram de efectuar a produzir contribuintes para o futuro.

António disse...

Lagartinho,
Bem-vindo ao Beijós XXI,
Manda Beijós a toda a Gente.

António disse...

Quero Crer,
Bem-vindo ao Beijós XXI,
Manda Beijós a toda a Gente.

Solicitador Mor disse...

Concordo plenamente com o ponto 3, é justa, fácil e de simples aplicação:

3 - Todas os cidadãos ao atingirem a reforma teriam direito a 80% do seu vencimento,
no entanto pessoas com:
- 1 filho a reforma seria de 85%,
- 2 filhos de 90%,
- 3 filhos - 95%;
- 4 filhos ou mais - reforma de 100%;

Ora aqui está uma ideia simples, barata, equitativa e genial.

Seguramente que resolveria o deficit na taxa de natalidade.

5 *****

Anónimo disse...

e quem não chega á reforma?

Anónimo disse...

Estava resolvido.

Bio disse...

Fazer filhos contribui para o aquecimento global. O mundo está quase a acabar e estes solicitadores a propor medidas para acabar com ele mais depressa.

Micas10 disse...

Não percebo bem o fio desta conversa que passou da "importância de estudar para ter melhor rendimento escolar" para como arranjar mais rendimento na reforma à custa do contribuinte.
Vejam: quem estuda mais, sabe mais, ganha mais, poupa mais, pode ter os filhos que quiser ou puder, até pode adoptar...
Dizia-me uma colega, há sempre lugar para os bons.
E para ser bom é preciso estudar.

Solicitador Mor disse...

As reformas não são pagas pelos descontos durante a vida activa mas pelos que ainda trabalham e fazem descontos.

Todo o dinheiro descontado por um quadro superior durante a sua vida activa só dava para pagar a sua reforma milionária equivalente ao vencimento do final da carreira, durante quatro ou cinco anos.

Assim, quem paga a reforma são os que vêm a seguir, logo é justo que quem deixem descendentes adoptados ou naturais, possa ter uma reforma ligeiramente melhor.

ex: um indivíduo que tenha um vencimento de 1000 euros e tenha tido 3 filhos, leva na reforma 950 euros;
um indivíduo que tenha no final da carreira um vencimento de 3000 euros, com 1 filho, leva na reforma 2400 euros.

Há alguém que ache que o 1º caso está a arranjar mais reforma à custa do contribuinte, há alguém neste mundo que não descortine aqui uma justiça social básica e simples mas absolutamente necessária.

Quem sabe quanto custa criar um filho, futuro contribuinte das reformas de amanhã, só pode ver aqui alguma justiça.

Solicitador Mor disse...

Naturalmente que quem tivesse 4 filhos, adoptados ou naturais, levaria na reforma 100 %.

Ou seja um indivíduo com 4 filhos que tivesse um vencimento de 1600 euros ficaria com uma reforma de 1600 euros, precisamente igual à reforma de um indivíduo que tendo um vencimento de 2000€ sem filhos, isto não tem nada a ver com estudar mais ou jogar melhor futebol, mas sim premiar quem contribui para que o estado social que tanto beneficia alguns, seja sustentável no futuro.

Sem este tipo de medidas daqui a 25 anos quem se reformar, não tem quem contribua para a sua reforma.

Mas claro, a geração que fez o 25 de Abril tem-se governado bem, alguns com duas e três reformas, outros com reformas de 5 ou 6 mil euros, obtidas aos 50 anos, quando passaram a maior parte da sua vida activa a descontar umas centenas de escudos, alguns deles não tendo filhos, esperam que os filhos dos que têm reformas de 1000 euros, suportem agora a sua vida faustosa e reforma dourada.

Quando a carneirada do povo acordar e se revoltar, acaba-se a mama de alguns. Fecham a torneira das reformas milionárias de quem muito fez para o país chegar ao estado a que isto chegou, mas pouco fez para melhorar a qualidade de vida da classe média ou média-baixa.

Alguns, têm-se governado muito bem neste país de "cegos".

Levantem-se homens de boa-vontade, lutem pelo que é vosso, exijam justiça, não permitam mais, que uns quantos se sirvam como Nabucos e deixem umas migalhitas para o povo, dizendo que tivessem feito o mesmo que eles para agora fazerem parte do sistema e então banqueteavam-se com o que devia ser de todos.

Não é mais tolerável que entre o ordenado mínimo e os dirigentes de empresas públicas haja diferenças de 30 vezes mais.

Nos países nórdicos a diferença é de 8 a 10 vezes.

Cáfila.

Anónimo disse...

Quem estuda mais ganha mais.
Quer exemplos?

Currículo no site do Millenium/BCP:
http://www.millenniumbcp.pt/pubs/pt/grupobcp/quemsomos/orgaossociais//article.jhtml?articleID=217516

Armando António Martins Vara
Dados pessoais:
Data de nascimento: 27 de Março de 1954
Naturalidade: Vinhais - Bragança
Nacionalidade: Portuguesa
Cargo: Vice-Presidente do Conselho de Administração Executivo
Início de Funções: 16 de Janeiro de 2008
Mandato em Curso: 2008/2010
Cargos que desempenha em sociedades do Grupo:
Em Portugal:
Vice-Presidente do Conselho de Administração da Fundação Millennium bcp
Presidente do Conselho de Administração do Banco de Investimento Imobiliário, SA
Gerente da BII Internacional, SGPS, Lda.
Gerente da VSC - Aluguer de Viaturas sem Condutor, Lda.
Vice- Presidente do Conselho de Administração da Fundação Millennium bcp
Fora de Portugal:
Presidente do Conselho de Administração do Banco Millennium Angola, S.A
Vice-Presidente do Conselho de Administração do BIM - Banco Internacional de Moçambique, SA
Funções no âmbito do Modelo Organizativo do Grupo:
Comité de Coordenação de Retalho & Empresas
Comité de Coordenação de Corporate & Banca de Investimento
Responsabilidades directas:
Direcção Marketing
Direcção Marketing Empresas
Comunicação
Direcção Corporate I
Direcção Corporate II
Direcção Banca de Investimento
Direcção Crédito Especializado
Direcção Promoção Imobiliária
Gabinete de Prevenção e Segurança
Millennium bim - Millennium Angola
Acções detidas no capital social do Banco Comercial Português, SA a 31 de Dezembro de 2008
10.000
Formação e experiência Académica:
2005 - Licenciatura em Relações Internacionais (UNI)
2004 - Pós-Graduação em Gestão Empresarial (ISCTE)
Experiência Profissional:
De Fevereiro de 2008 a Agosto de 2009 - Vice- Presidente do Conselho de Administração do Banco Millennium bcp Investimento, S.A
De Fevereiro de 2008 a Março de 2009- - Gerente da BCP Internacional II, Sociedade Unipessoal, SGPS, Lda
De Fevereiro de 2008 a Março de 2009- Vice- Presidente do Conselho de Administração do Millennium bcp - Prestação de Serviços, ACE
De Fevereiro a Dezembro de 2008- Gerente da BCP Participações Financeiras, SGPS, Sociedade Unipessoal, Lda
2005/2008 - Administrador da Caixa Geral de Depósitos, SA
2005/2008 - Presidente do Conselho de Administração da IMOCAIXA, SA
2005/2008 - Presidente do Conselho de Administração do SOGRUPO, IV- Gestão de Imóveis, SA
2005/2008 - Vogal do Conselho de Administração da CAIXA PARTICIPAÇÕES, SGPS, SA
2005/2008 - Vogal do Conselho de Administração da CAIXATEC- Tecnologias de Comunicação, SA
2006/2008 - Vogal do Conselho de Administração da Portugal Telecom, SGPS, SA
2001/2005 - Director e Director Coordenador na Caixa Geral de Depósitos, SA
Setembro 2000/Dezembro 2000 - Ministro da Juventude e do Desporto do XIV Governo Constitucional
Outubro 1999/Setembro 2000 - Ministro-Adjunto do Primeiro Ministro do XIV Governo Constitucional
1997/1999 - Secretário de Estado Adjunto da Administração Interna XIII Governo Constitucional
1995/1997 - Secretário de Estado da Administração Interna XIII Governo Constitucional
Deputado à Assembleia da República nas IV, V, VI e VII Legislaturas
Vice-Presidente das Comissões Parlamentares de Equipamento Social e de Juventude
1987/1991 - Membro da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa
1989/1991 - Membro da Assembleia Parlamentar da UEO
1992/1996 - Presidente do Conselho de Administração da Fundação José Fontana
Vereador da Câmara Municipal da Amadora
Membro da Direcção do Instituto da Imprensa Democrática
Membro dos corpos sociais do Instituto Luso - Árabe de Cooperação

Anónimo disse...

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/noticias-pais/2009/11/armando-vara-continua-a-receber-ordenado-como-administrador-do-bcp13-11-2009-225048.htm

Armando Vara está suspenso do BCP e continua a ganhar 25 000 euros por mês.

Anónimo disse...

Aliás 34 000 euros mensais.

http://www.sabado.pt/Actualidade/Portugal/Armando-Vara-mantem-salario-no-BCP.aspx?anchor=comment

Anónimo disse...

Experientes servidores bancarios. Pois que sao pagos para esmifrar as economias dos despositantes.Para isso estudaram, ou melhor usao
o lugar que detem parar escamutiar quem confia neles. Neste pais "Wasington Mutual Bank". Hoje parte do "Chase Bank".Em 2008/2009 teve um prejuisozito, de $307 mil milhoes de dollars.
Gostaria de saber, para quantos anos daria para manter Portugal, sem cobrar impostos? Mas ha mais.
O Indimak Bank "32 mil milhoes.
Colonial Bank,25 mil milhoes.
Guaranty Bank.13 mil milhoes .
BankUnited.12.8 mil milhoes.
Downey Savings and Loan. 12,8 mil milhoes.
A lista continua.
Os ordenados chorudos, nao sao dispenssados.
Sao autenticos "Madoffes"
F.Abilio Abrantes
Em U.S.A.

Beirão disse...

A honestidade, seriedade, bom-senso, verticalidade de valores, compaixão, compreensão e humanismo, não são conceitos que se aprendam nos cursos superiores, portanto não vêm com os canudos, aprendem-se em casa, com os mais velhos ou com o tipo de "amigos" com que privamos.

Anónimo disse...

Concordo com o direito à igualdade, para se ser justo deve-se tratar igual o que é igual e diferente o que é diferente.

Assim, uma descriminação positiva é a criação de reformas diferentes para quem contribuiu de forma diferente para a sustentabilidade do sistema da Segurança Social ou da Caixa Geral de Aposentações.

Ou seja, é justo que quem tenham tido mais filhos, mais encargos, possa na sua reforma ter maior retorno.

Esta medida serviria também de incentivo ao aumento da taxa de natalidade.

Perguntas bem disse...

"Não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, pergunta-te antes o que tu podes fazer pelo teu país”
JFK

Fazedor de Kontribuintes disse...

"Fazer filhos é um grande contributo para o nosso país"
FDK

Anónimo disse...

Estudem para serem como o Dr. V. Constâncio, ganha 60 ordenados mínimos nacionais.
Dr. V. Constâncio ganha o dobro que o seu homólogo americano.

Anónimo disse...

O Sr. Perguntas Bem, quem será?

Será o Dr. Oliveira e C.

O Dr. V. Constâncio não é certamente.

O Dr. D. Loureiro não comentava aqui.

O Dr. A. Vara tem negócios mais importantes a tratar.

M. Godinho, P. e J. Penedos já fizeram muito pelo país.

Só pode ser alguém que tem uma reforma choruda a defender.

P Lusofonia disse...

Se não estudarem, os aspirantes a Kontribuintes não chegarão a ser bons numa profissão útil, não encontrarão quem queira contratar os seus serviços, não terão grandes rendimentos, não terão que pagar impostos.
Se não estudarem, os aspirantes a contribuintes, do lado da receita orçamental, pouco passarão de aspirantes a pedintes, do lado da despesa orçamental.
Se não estudarmos, em vez de fazermos parte da solução, faremos parte do problema da baixa produtividade nacional.
Sem educação não há solução, nem festa da "copa que conta".
A educação é condição essencial, ainda que não suficiente, para qualquer saída da(s) crise(s).

Carlos Peixeira Marques disse...

Vejam até onde pode levar o intervencionismo:
http://diario.iol.pt/ambiente/clima-unfpa-onu-mulheres-aquecimento-global-tvi24/1104132-4070.html

Portugal lider no abandono escolar disse...

Portugal no topo da tabela
Portugal continua a ser um dos países da OCDE com maior taxa de abandono escolar e com maiores níveis de desigualdade social. Actualmente em Portugal cerca de 3 em cada 10 jovens em idade escolar não completa a escolaridade obrigatória.

Enviar um comentário