Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

sábado, 22 de julho de 2006

Degradação da casa de Sousa Mendes

Intervenção é urgente Um artigo no JN de hoje refere que «Uma inspecção à Casa do Passal (...) concluiu que o edifício evidencia um "avançado estado de degradação". A empresa responsável avança soluções urgentes e de longo prazo para obstar à evolução dos problemas detectados, mas a fundação proprietária do imóvel não tem dinheiro para as realizar».

«A curto prazo, com carácter de urgência é proposta a protecção do edifício da chuva através da montagem de uma cobertura provisória, bem como a instalação de um sistema de contraventamento entre as duas paredes principais ou de cintagem do edifício, ao nível do tecto do primeiro andar».

Luis Fidalgo afirma que a Fundação não tem dinheiro para realizar essa intervenção urgente.

Durante os próximos 7 dias a notícia pode ser lida aqui.

Ver tb blog Amigos de Sousa Mendes

14 Beijos:

Micas10 disse...

ver
http://amigosdesousamendes.blogspot.com e
http://palheirabeijosense.blogspot.com/2006/05/em-memria-de-sousa-mendes.html

bunny disse...

tendo em conta a minha licenciatura era impossivel findar o curso sem ter uma cadeira qiue nao referisse Sousa MEndes. no ambito da cadeira de Asilo e Refugiados estou a desenvolver um trabalho de peskisa (que me permitirá terminar o curso, pois é so o k me falta :) ) sobre o Consul. o tema do trabalho são os judeus em Portugal na II WW e o papel de aristides sousa mendes. nem imaginam as coisas curiosas k ja descobri...

Cadina disse...

As ruínas da Casa do Passal – a nossa vergonha.

É bom que alguém, tecnicamente habilitado, investigue a situação da Casa do Passal, situação calamitosa que não é novidade para muito boa gente.

A meu ver, há duas entidades que são responsáveis pela degradação do edifício: a Câmara Municipal, cujo presidente é membro do Conselho de Administração da Fundação Aristides Sousa Mendes, de acordo com os próprios estatutos da Fundação e a própria Administração da Fundação.

A aquisição do imóvel pela Fundação foi uma medida acertada, embora o preço tivesse sido uma exorbitância. Só entendível porque os vendedores de alguma forma dominavam e controlavam os compradores e os compradores não estavam a utilizar dinheiro seu, mas sim dinheiro que lhe havia caído do céu ou seja, do Estado.

Mas agora entrou-se numa outra lógica, a lógica de:

 Falar na Casa do Passal o mínimo possível;

 Se alguém, do governo ou órgãos nacionais tomam alguma iniciativa, vamos estar presentes para que não digam que estamos desinteressados.

 Se alguém nos perguntar porque é que a Casa do Passal está assim, porque é que não se avança para uma Casa-Museu ou coisa parecida, dizer que não há dinheiro, que a Fundação não tem dinheiro, que é pobrezinha, etc, etc,bla, bla, bla.

Esquecem-se os dirigentes da Câmara Municipal e da Fundação que não há projecto que vingue quando falta vontade em avançar com o projecto. É isto que muita gente constata há já alguns anos.

Quem é pobre de dinheiro também pode fazer obra. Mas quem é pobre de espirito, colocar dinheiro nas suas mãos pode ser um grande risco, o risco de não haver nunca dinheiro, de não haver nunca projecto válido, o risco de, havendo dinheiro, ele se esfumar sem que a obra alguma vez veja a luz do dia.

É este o drama actual da Casa do Passal. Não é um problema de pobreza de dinheiro. O problema que existe é de pobreza de espirito. O problema são as pessoas que travam, mesmo que digam que querem avançar.

O Museu municipal de Carregal do Sal, que abriu há uma semana atrás, demorou nada menos de 15 anos para ver a luz do dia.

Servidos como estamos de tais responsáveis nos órgãos de decisão, nem daqui a 15 anos teremos a Casa-Museu Aristides de Sousa Mendes...para nossa vergonha.

beijokense disse...

Ó Bunny... quando quiseres partilhar as tuas 'descobertas'...

la disse...

a Fundacao nao tem dinheiro porque os senhores que tomam conta da Bolsa da Fundacao vive a custa dessas verbas inclusive alguns descendentes do homeneagiado...
alem disso o povo de Cabanas nunca deu grande importancia ao predio e pior ainda os senhores que compraram a casa por valor de amendoins (fazendo da casa aviario)e venderam ao preco de ouro.
Por o que ouvi esses cavalheiros que compraram a casa no Leilao eram credores de dividas de SOUSA MENDES mas havia mais dividas que nunca foram pagas.
ASSIM SAO OS SENHORES DA TERRA...

Vadio disse...

Boa!

bunny disse...

a populaçao d cabanas escorraçou - é mesmo assim - o consul. ele refugiava-se em Beijos e no carregal...e agora é a populaçao de cabanas k fica com os louros e toda orgulhosa...quando eles n fizeram nada por ele.

António disse...

Bunny,
Podes ter toda a razão, mas neste momento o maior tributo que o nosso país pode fazer a Um Português que trocou a sua carreira profissional e bem-estar familiar por um acto de consciência, acto esse ao qual, felizmente, a maioria de nós dá graças, com dizia o maior tributo é fazer perdurar no futuro a memória de acto, louvável, de humanidade, como poucos na nossa História.
E recuperar a Casa do Passal, fazendo dela um motivo de visita ao nosso passado, prepetuando assim a memória de um 'Homem Bom' é possivelmente a melhor maneira de legar aos nossos descendentes uma Referência Moral.

António disse...

Parece que cada vez mais, precisamos de Referências do que é certo, do que é louvável.
Ter salvo uma pessoa que fosse, da perseguição xenófoba, no holocausto nazi, é por si só um acto de grande coragem e de grande humanidade.
Salvar 30 000, pondo em causa uma prometedora carreira diplomática e desobedecendo ordens directas do Ditador Salazar, é um acto de bravura impossível de descrever por palavras.
Qui çá, poucos países se podem orgulhar de ter na sua história um Heroi assim.
Aristides de Sousa Mendes,
Obrigado.

Micas10 disse...

O Juiz Sousa Mendes, pai de Aristides e Cesar, também era de Beijós, por isso Aristides e a mulher Angelina eram primos.
Estive agora a ler no Boletim da Rede Portuguesa de Museus o esforço da Câmara Municipal de VN Famalicão ao criar o Centro de Estudos Camilianos para "valorizar o património" de Camilo Castelo Branco.

Não seria um bom exemplo a seguir aqui ?

bunny disse...

eu nao critico e muito pelo contrario até me revolta o estado em k se encontram as terras e a casa do consul. apenas refiro k hoje em dia sempre k se fala de aristides a populkaçao de cabanas enaltece-se toda e orgulkha-se muyito e diz: eu sou da terra do aristides...quando nada fizeram para o ajudar e ate contribuiram para o estado de degradaçao da casa

Anónimo disse...

Boa bunny assim é que se fala, nada de ter medo, se a tua licenciatura é sobre ele nada como expores oque sabes

Lucia Abrantes disse...

A 4-5 anos por casualidade contactei com alguns Judeus em Providence RI,onde tem uma grande comunidade Judaica e daqueles bem ferrenhos, falei-lhe no caso do consul nem sequer o nome conheciam
nem o que ele fez, eram Medicos Advogados etc,ja ali vi a falta de interesse dos Judeus,aqueles que o consul abrigou e manteu e os que salvou da fogueira, os governos e de varios Paises tem o dever de reconstruir a casa e Cabanas que irao beneficiar da publiciade que vai sendo feita.Beijos nao tem obrigacao de qualquer ajuda pessoal ou monetaria. Os Judeus sao ricos...

Micas10 disse...

Ver Amigos de Sousa Mendes

Enviar um comentário