Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Incêndio na Fontanheira

«Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo, de mil oito centos eoitenta eoito, aos onze dias do mês de Fevereiro do dito anno, e casas das sessões da Juncta de Parochia d'esta freguesia de Beijós, Concelho do Carregal, achando-se reunida a juncta de Parochia desta freguesia e Regedor em Commissão de beneficencia presidida pelo respectivo Reverendo Parocho segundo a dispusição do Codigo Administractivo, artigo cento enoventa esete, para[gra]pho unico; porelle presidente foi dito que na noite do dia oito para nove do corrente, no sitio da Fontanheira lemite de Beijós, o cazal João Bernardo, e Jozefa Paes do dito logar fora preza d'um violento incêndio, que lhe devorou todos os generos alimenticios que guardava para seu alimento, e de seus muitos filhos, como assim os moveis e somoventes.
Que era ?? o estado de prostração em que se achavão aquelles infelizes paes, não só pela falta de roupas, camas, e panos, mas tambem pelas contuzões, e chagas que elles eum filho de peito receberam no incendio.
(...) é triste o dizer-se, que seus ispiritos deviam ficar angustiadissimos ao verem que seus esforços para salvarem das chamas as suas queridas filhas - Margarida de treze annos, e Maria de cinco - foram baldados, para no fim desta triste scena as encontrarem carbonizadas estre os destroços do enemigo!!
Que neste estado de pobreza e afflição em que ora se encontra aquella infeliz familia lhe parece do agrado de Deus e dos homens que a Illustrissima Commissão a que tinha a honra de presidir accorde no meio mais efficaz de lhe minorar seu padecimento.
Ao que a dita commissão unanimemente respondeu que se tractasse quanto antes de tirar esmolas em toda a freguesia, nomeando-se para este fim dous homens de probidade em cada uma das differentes povoações».

A lista de sobreviventes está aqui.
O «filho de peito» é Adelino, que tinha 21 meses.
Nos tempos que correm, nada poderia trazer de volta as filhas carbonizadas, mas o «meio mais efficaz de lhe minorar seu padecimento», nomeadamente as perdas de móveis e semoventes, seria um seguro feito pelo bisneto deste casal.

4 Beijos:

Nuno disse...

Muito interessante.

Isabel Clara disse...

Há aqui qualquer coisa que me escapa.
O filho do peito, o Adelino,era meu avô.Pelo que eu sei, o meu avõ nasceu a 8/5/1896, ora se o incêndio foi em 1888 o meu avô ainda não era nascido!!!
Mas vou tirar isso a limpo!

Isabel Clara
Damaia

beijokense disse...

Isabel,
pelo que eu consegui descobrir, há um erro na data de nascimento do teu avô, i.e. ele terá nascido precisamente 10 anos antes da data que apresentas.

Isabel Clara disse...

Tens razão beijokense
eu é que fiz mal as contas.
Eu sei que o meu avô faleceu tinha a minha mãe 7 anos .A minha mãe nasceu em 1934 e o meu avô faleceu em 1941 em plena 2ª grande guerra com 55 anos.
Assim sendo o meu avô masceu sim em 8 de Maio de 1888.
O cansaço já não me deixava fazer contas ontem

Enviar um comentário