Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Documentos antigos de Beijós - 4

O contrato expresso neste documento é a troca do direito de passagem por uma parte (indivisa?) de um terreno.
Curiosidades do documento:

  1. um dos consortes é «oliveiras da Confraria»
  2. o sítio que hoje conhecemos por Poldras, chamava-se Poldras do Lagar por nele se situar o Lagar (de azeite) das Poldras
  3. algumas assinaturas têm uma grafia mais moderna do que a menção no texto; note-se o caso de Sobral
  4. o dono da regada tornou-se Visconde graças às lutas liberais e foi membro da Junta Provisional do Supremo Governo do Reino, além de padrinho do João Brandão e, obviamente, trisavô de Angelina & Aristides

Por este de nosso rôgo feito, e assignado dizemos nos, Antonio Marques do Soveral, e minha mulher Maria da Costa, do lug.r de Beijós, concelho do Carregal, que nos contratamos de dar a Antonio Coelho d'Abrantes e a sua mulher, do mesmo lug.r, como com effeito lhes damos ja liberdade de passagem com carro pª afructar e desafructar a regada dos Camalhões, q he de Roque Ribeiro d'Abranches, de Midões, pela nossa sorte de terra com oliveiras, q temos no sitio das Pôldras do Lagar a partir com oliveiras da Confraria, e declaramos que esta liberdade de passagem, q lhes damos he para se afructar e desafructar a sobredicta regada, a fim de ficar isento o rocío, q está deante do Lagar das Poldras, q he delles trocadôres, e por onde tem sido athe aqui o caminho mencionado; e lhe damos esta liberdade de caminho em troca da parte q elles tinhão no terreno e rocío dos curráes do cerradinho, q erão de seus antepassados, e q elles trocadôres nos dão em recompensa, e por este nos obrigamos ao cumprimento d'este contracto, q damos por firme e valiôso, como se fora feito por escriptura publica, e por verdade rogamos a Luiz Coelho Monteiro Machado, deste m.mo lugar, q'este nos fisesse, q eu fis sendo testemunhas presentes Joze Paes do Soveral, natural de Lobão, e Joze d'Abrantes Paes, do lugar de Beijos, e a rogo da trocadôra Joze Мarques do Soveral, de Beijos, que todos aqui assignarão, feito hoje aos 14 d'Abril de 1839.

4 Beijos:

beijokense disse...

Creio que o Antonio Coelho d'Abrantes que adquire a liberdade de passagem é o pai de Daniel Coelho de Moura, de quem descendem praticamente todos os Coelhos de Moura de Beijós, incluindo os contributors Beijokense e Nuno.

jbatista disse...

existe algum vestigio desse lagar nas poldras?. Desconheço.

Nuno Mata disse...

Poderia informar-me se, de facto, Roque Ribeiro d'Abranches foi padrinho de João Brandão? Estou a reunir documentação acerca desta personagem e achei curiosa a referência.
Grato

Nuno Mata
(euskadi70@gmail.com)

beijokense disse...

Sim, confirmo. Joâo Brandão foi baptizado na igreja de Midões a 26-3-1825, sendo este Roque Ribeiro d'Abranches o seu padrinho.

Enviar um comentário