Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Ruas de Beijós - 1

hawk76 disse...
«Será complicado alterar nomes de ruas (devido aos documentos existente, registos, etc), mas há ruas, travessas, becos, sem nome que poderão passar a ter e o Beijós XXI pode contribuir com suges´~oes.»

Admito que sim, mas quanto mais tarde se proceder a uma eventual alteração, mais complicado será. Acho mais importante perguntar: estão os beijosenses contentes com o nome da rua onde habitam? Sabem eles o que representam esses nomes?

Num dos meus primeiros posts no Beijós XXI, há 2 anos, dizia eu: «A toponímia beijokense está completamente infestada de socialistas positivistas, alguns governantes, outros caceteiros, da 1ª República». Infestação é uma figura de estilo e manifesta uma opinião pessoal, mas pretende representar essa realidade que é o facto de figuras ligadas ao regime (embora apenas um deles lá tenha chegado) da 1ª República terem nomeado as ruas principais.

Como comemoramos com orgulho patriótico-militar, todos os anos, o 5 de Outubro, acabamos por aceitar passivamente a ideologia dominante que diz que a "revolução" de 1910 acabou com uma ditadura e instaurou uma democracia. Acreditar nessa fantasia é o mesmo que acreditar que a revolução de 1917 instituiu a democracia na Rússia - o que se passou foi que alguém, em nome do povo, assumiu o poder para logo de seguida oprimir o dito povo e nem sequer lhe dar direito a voto. Por mais que nos custe admiti-lo, o regime instaurado em 1910 foi menos democrático do que o das últimas décadas da monarquia. Na maior parte das eleições após a implantação da República, só podiam votar os homens letrados, estavam excluídas as mulheres e os analfabetos, i.e. estava excluída a grande maioria da população que vivia fora das cidades e que, na opinião dos positivistas, estava dominada pelos padres e não conseguia perceber o progresso que o novo regime prometia. O regime era, na prática, um regime de partido único e todos os órgãos de poder se confundiam com o partido (mesmo a nível local, como referi aqui).
É este regime que a toponímia beijosense, em larga medida, representa e teremos de decidir se é isso que queremos. Deste modo, creio que seria de alterar os nomes da Rua Afonso Costa Igreja, Rua Miguel Bombarda e Travessa Miguel Bombarda.

Afonso Costa é mais conhecido. Entre os católicos convictos, é famoso pela política de subjugação da Igreja ao Estado, sendo deveras interessante(!) ter uma placa com o seu nome no muro do adro; interessante não deixa de ser também o facto de nos mapas online e aparelhos de GPS a Rua chamar-se Afonso Costa Igreja ::)
Miguel Bombarda não é tão popular, é mais conhecido como psiquiatra. Não viu a revolução porque foi assassinado na véspera por um doente. No entanto, quem estudou o seu papel no movimento republicano não tem dúvidas em associá-lo a uma faceta mais sinistra das ideologias que o suportavam. Miguel Bombarda era profundamente positivista e acreditava que era possível manipular o cérebro para levar os indivíduos a agir de acordo com o ideal de uma sociedade mais justa, de uma sociedade ideal. As suas ideias foram a base da deportação dos jesuítas, considerados anómalos - algo de natureza semelhante à deportação de judeus pelo regime nacional socialista. Tiveram também seguimento na equipa que desenvolveu a controversa lobotomia.

Quanto à Rua Abade Pais Pinto, única no país (acho), poder-se-á manter - não porque alguma vez tenha sido um benemérito de Beijós :), mas precisamente porque nem a freguesia de Cabanas, nem a de Silgueiros lhe prestaram qualquer homenagem pelos valores que defendeu, bem diferentes daquilo que o regime com que sonhava viria a por em prática. Ficando a nossa freguesia entre aquelas duas...

7 Beijos:

BATISTA disse...

Eu por acaso estou contente com o nome da rua onde moro.
Se eventualmente o nome da Rua Miguel Bombarda vier a ser alterado, para mim não faz diferença, porque será sempre o nome de Rua Miguel Bombarda que utilizarei!!!

Será que com estas eventuais alterações algumas inteligências da nossa praça não quererão perpectuar bufos pidescos que existiram em Beijós?
E olhem que não é mania de perseguição....

bunny disse...

Eu tambem sou a favor de se alterarem certos nomes..porque acho k nada dizem á aldeia. Miguel Bombarda, Serpa Pinto...acho que são amis notórios...É realemnete ironico a Rua da Igreja ser oficialmente Rua Afonso Costa....:):):)
Desde que não mudem ( e os moradores n deixavam) o nome do meu querido bairro...;)

Ché.76 disse...

Alguma coisa a fazer será sobretudo nas ruas travessas e becos que não têm nome, as que têm terá de passar sempre pela opinião dos moradores que lá moram e aprovação depois pela Cãmara Municipal.

hawk76 disse...

O Batista é um exemplo de que não seria fácil mudar os nomes existentes (mesmo só tendo em conta a opinião dos moradores), e se lhes dissesem que teriam de ir alterar escrituras ou outros documentos, pior seria!!!!

bunny, ninguem se lembrará de querer alterar o nome do teu bairro, mas convenhamos que se em vez de se chamar "Bairro do Moinho", se chamasse "Outeiro do Moinho", seria outra coisa....
À semelhança desse, há a Rua da Cadina, Beco do Castelo, Rua da Eira, etc.

Anónimo disse...

Olá, sou a jornalista do 6º ano e venho em nome dos alunos do 6º ano agradecer ao jardim de infância e ao Básico de Beijós os belos postais que nos enviaram para o Colégio. A stora recebeu-os hoje e ficámos muitos contentes porque não estavamos à espera. Gostaram das prendinhas de Natal que mandámos? Acho que as vão receber hoje, segundo disse a stora. Bom Natal a todos a até para o ano (2008). Aproveitem as férias para descansar!!!

beijokense disse...

Vade retro

Batista, caso não tenhas lido o meu post de há 2 anos, transcrevo: «Prefiro nomes do tipo "Estrada do Penedo", "Largo do Calhau" e "Rua do Vale da Loba", havendo espaço para um ou outro falecido que tenha contribuído de alguma maneira para o desenvolvimento da terra».
Os republicanos é que propagaram este culto da personalidade (a sua própria e dos seus correlegionários), atribuindo os seus próprios nomes a ruas e monumentos que inauguraram, como fazem hoje alguns presidentes da Câmara. Até então, não era vulgar as ruas terem nomes de pessoas. Na maior parte dos sítios ninguém liga a esses nomes, a rua onde vivi chama-se Rua da Igreja para todos os moradores e a rua onde mora o Batista é conhecida por Rua do Vale da Loba pela maioria dos beijosenses.

Eu não quero convencer ninguém da minha opinião, a minha rua chama-se de Montezelos e estou bem com isso. Mas acho que quem quer ter Miguel Bombarda como um ídolo gostará de ler os documentos doutrinários que ele escreveu. Traduzidos para alemão seriam um bom suporte filosófico para os oficiais das SS e da Gestapo ::)

P.S. Hawk76 - as placas com os nomes das ruas foram colocadas há vinte e poucos anos. Nas ruas em causa a maioria dos registos e escrituras não refere qualquer rua, apenas lugar e freguesia de Beijós. A grande "chatice" seria o código postal.

Anónimo disse...

para quem não quer convencer ninguém insiste bué...mas,mas, mas,mas,

Enviar um comentário