Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

sábado, 28 de abril de 2007

A escola em 1881

  • A escola é d'esta freguesia de Beijós, pertence ao concelho do Carregal
  • é do sexo masculino
  • é publica
  • a casa não é de renda é propria
  • não se sabe quem amandou construir, nem a épocha em que foi construida
  • a escola foi criada em 1836, pouco mais ou menos
  • a casa está situada em uma das povoações principais da freguesia
  • esta Juncta não tem as habilitações precizas para poder avaliar quaes sejam as suas condicções hygienicas, mas pelo conhecimento que tem sabe, que lhe não consta que tenha havido queixas de que ella seja insalubre, apezar de alli ter concurido grande numero de alumnos que actualmente frequentão a escola
  • não tem bibliotheca
  • a sua mobilia consta que fora mandada fazer pela auturidade administrativa d'este concelho, e mandada pagar pela camara respectiva, e consta apenas de alguns bancos, e uma meza que não estão em muito bom estado, ou circonstancias
  • o professor não vive na casa da escola, vem de Cabanas freguesia vezinha aonde reside dar a escola de manhã mas não tem dado aula de tarde, e também algumas vezes tem faltado a ella de manhã, mas dá o mesmo professor como causa d'estas faltas, o não ter caza na parochia destinada para sua habitação, e que tendo de atravessar o espaço que dista de Cabanas a Beijós, prigaria o seu estado de saude se viesse todos os dias

Estas são as respostas da Junta de Beijós a um inquérito nacional às escolas de «instrucção primaria» em 1881.
O professor, que vinha de Cabanas quando o seu estado de saúde não "prigava", era João Pinto de Campos, avô do Dr. Pinto que foi médico de muitos beijosenses. Os professores trabalhavam num regime aparentado ao socrático contrato individual de trabalho, mas eram contratados directamente pelas autarquias, que deviam também arranjar a casa e mobília para a escola e a residência para o professor -- tudo a duplicar, porque não se permitia mistura de género -- meninos e professor numa escola, meninas e professora noutra :)

6 Beijos:

Gafnhoto disse...

Afinal o absentismo não é de agora.

Pelos vistos ainda não existiam "Os Marques", nem "Os Hermínios", muito menos "Os Figueiredos".

:)

Micas10 disse...

Não era a duplicar pois nem sequer havia escola para as meninas, um problema que existe em muitos países.
E o transporte escolar era a pé

Micas10 disse...

As fotos dos diplomados circa 1914 também mostram só rapazes, http://antoniopovinho.blogspot.com/2005/12/fotos-antigas-de-beijs-e-suas-gentes-4.html
Haveria quem ensinasse as filhas em casa talvez?
A literacia das mulheres é um factor de progresso, por isso é considerado um dos Objectivos do Milénio pelas Nações Unidas

António disse...

Fotos dos diplomados de 1914, em Beijós.

beijokense disse...

ó Micas10, a história da escola das meninas é quase uma novela... não percam as cenas dos próximos capítulos, aqui no Beijós XXI.

Beirão disse...

O Beijós XXI apresenta já um acervo considerável sobre o "estado evolutivo" da educação na nossa aldeia, Concelho, quiçá do país.

Bom trabalho.

Enviar um comentário