Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

"O sonho de um dia ser concelho..."

«Dificilmente existirá no País localidade com sentimento municipalista mais exacerbado que Canas de Senhorim. Um sentimento com mais de cem anos. Os canenses não querem criar o concelho, querem restaurá-lo. "Uma restauração que fica a faltar nestes 30 anos de poder local, porque as reformas administrativas resolveram parte das assimetrias, mas no interior do País as sedes de concelho estão a concentrar tudo e a secar as terras à sua volta", afirma Luís Pinheiro, presidente da junta e rosto visível do Movimento para a Restauração do Concelho de Canas de Senhorim (MRCC). Uma restauração que nunca chegou em definitivo.

Município extinto através da reforma de 1852, foi recuperado em 1866. Novamente extinto um ano depois, até hoje! A luta começou em 1975 com o arranque dos carris da linha férrea da Beira Alta. O povo queria o seu concelho de volta. Enquanto "Canas agonizava, Nelas crescia", recorda Pinheiro. E a 2 de Agosto de 1982 o sonho sai à rua com uma manifestação que chama a atenção para o seu problema. Que se mantém até hoje.

Canas tem cerca 50 km2 e 6457 habitantes. O que a colocaria como o 22.º concelho de Viseu, em população, deixando atrás Penedono, Sernancelhe e Vila Nova de Paiva. Factos que encontram novos argumentos. A vila reúne "a maioria das estruturas necessárias, escolas primária e secundária, 14 associações culturais e recreativas, bombeiros e posto da GNR".

(...)

Mas desistir nunca. "Vamos esperar pelo momento certo e aguardar que os partidos que nos apoiam voltem a apresentar o projecto."»

11 Beijos:

Anónimo disse...

CANAS e canenses têm muita razão pois aqui no interior em todos os concelhos acontece a mesma coisa a sede do concelho tem tudo as restantes povoações não têm nada acho que isto a continuar assim deveria ser uma vergonha para o poder politico, mas para isso era preciso que os políticos tivessem vergonha ou que houvesse justiça assim ou
assim.
ainda por cima os comerciantes da sede do concelho podem vir vender nas povoações mesmo nas bem servidas de comercio e os comerciantes das povoações não podem ir vender na sede do concelho até os comerciantes da sede do concelho são protegidos e preveligiados SENHORES POLÍTICOS ARRANJEM VERGONHA

hawk76 disse...

E o que aconteceria se Canas passasse a sede de concelho?

Micas10 disse...

Será que a prosperidade depende mesmo de ser sede de concelho,de ter mais uma dúzia de empregos da administração pública ?
Canas gosta dese comparar com os concelhos mais pequenos e mais pobres do distrito ?
Em vez de perder tempo com estes saudusismos, seria talvez mais construtitvo promover a o sector privado, a industria, a agrigultura e turismo.

Anónimo disse...

todos falam muito bem , principalmente aqueles que saíram daqui para fora e constituíram as suas vidas fora falar é muito bonito o difícil é sobreviver aqui sem condições nenhumas pois só aqui diariamente se pode dar valor as dificuldades e ainda não vi ninguém tentar puxar o que quer que seja para as aldeias para que se possa viver um pouco melhor para que as pessoas deixem de ter que sair daqui para fazer as suas vidas pois nós aqui nas aldeias precisamos que os governos analisem as situações caso a caso não podemos ser comparados com uma cidade , exemplo qualquer comercio numa aldeia para ser aprovado tem que ter no mínimo as mesmas condições que tem numa grande cidade quando depois vai movimentar no maximo uma milésima parte do valor negocial agora eu pergunto , para quê investir numa aldeia se o investimento vai ser inútil? porque é que não se exigem condições mínimas em prol da localização e do movimento que faz?quando atingir o tal movimento seria obrigado a reajustar as condições. nos impostos porque será que anda ai tanta gente que com uma guia ou factura carrega se preciso for uma dezena de vezes e para isso basta ter dinheiro para pagar a pronto quem não tem dinheiro e foi á banca para fazer as condições que lhe foram exigidas ainda é aterrado com impostos porque não tem dinheiro para pagar a pronto ,tudo isto aos olhos de todos e ninguém vê

peixeira disse...

Infelizmente, na maior parte do território nacional, «promover a o sector privado, a industria, a agrigultura e turismo» não pode ser feito contra o poder autárquico, por isso eu compreendo os argumentos dos canenses.
A afirmação «no interior do País as sedes de concelho estão a concentrar tudo e a secar as terras à sua volta» é inquestionável.

Micas10 disse...

As tendência demográficas estão a favorecer as vilas e cidades pequenas, em parte à custa das zonas mais rurais.
Será que a criação de mais um concelho, sem viabilidade económica, é o que vai dar volta a isto ?
A promoção economica regional é uma iniciativa importante, mas não a custo de sobrecarregar ainda mais o contribuinte. A criação de mais um concelho como estratégica de promoção económica é uma estratégia que não tem pernas para andar.

imigrante disse...

DAQUI saudo Canas e os "canensses"
Nao vou comentar algo.

Apenas tanscrever um pequeno recorte de o jornal "TRIBUNA PORTUGUESA" de 1 de Dezembro de 2006.

PORTUGUESES NO ESTRANGEIRO ENVIAM PARA PORTUGAL 6,7M Euros POR DIA.

As remessas dos emigrantes portugueses cresceram 7,5% nos primeiros nove meses de 2006 em relacao a igual periodo de 2005- indicam estatisticas divulgadas pelo Banco de Portugal.

No periodo Janeiro-Setembro do corrente ano,os portugueses residentes no estrangeiro colocaram em Portugal remessas correspondentes a 6,7 milhoes de euros por dia ou um total de 1.815.123.000 euros.
Estas sao as estatisticas a portuguesa.



(...)

Diario Digital/Lusa

Eu pregunto, afinal do que e que se vive em Portugal?

ESTATISTICAS A AMERICANA: 6,7M=10M
dollars por dia.

Se a emigracao fize-se greve?

Anónimo disse...

em canas de senhorim luta-se para concelho e não é para ser um concelho pobre é para tentar fugir da falta de ética e igualdade a que temos assistido ao longo dos últimos anos e o mesmo acontece em todos os concelhos se a população dos outros concelhos quer ficar calada nós não por isso vamos continuar a lutar até que o município nos dê a igualdade ou até o governo nos reconhecer concelho nós queremos igualdade no desenvolvimento com o concelho e em todas as infras estruturas ali colocadas e construídas basta de sermos postos de lado estamos fartos de promessas que em nada nos tem favorecido queremos desenvolvimento aqui em canas pois até aqui tudo foi feito em nelas tudo quanto ouve foi para nelas e assim não aceitamos queremos IGUALDADE CANAS TAMBÉM É PORTUGAL OU PENSAM QUE PORTUGAL É SÓ LISBOA

peixeira disse...

Se há no país alguma freguesia que não pode ser acusada de "sobrecarregar o contribuinte", ela é Canas de Senhorim. Durante muitos anos, a CPFE e a ENU geraram uma quantia considerável de impostos e, sobretudo num período em que elas eram muito necessárias, de divisas. Durante este período agora comemorado em congresso do "Poder Autarquico", a contrapartida do "contribuinte" para a freguesia foi pouco mais de zero.
Canas tem alguns equipamentos desportivos, recreativos e culturais e tem um conjunto mínimo de serviços, devido ao que foi ANTES dos tais 30 anos de "Poder Autarquico". Talvez devido ao papel da cultura e da cidadania na vida dos canenses, Canas tem os melhores alunos do secundário do Distrito de Viseu (e os melhores a nível nacional, dentre os que não residem numa cidade).

Um análise honesta não pode deixar de admitir que, até finais do séc. XX, Canas sempre teve muito melhores condições do que o Carregal para ser sede de concelho. Só a desigualdade de investimentos, quer os que são pagos pelo "contribuinte", quer os que não o são, mas têm de passar pelo "Poder autárquico", verificada nos últimos anos, está a alterar essa situação.

Por isso compreendo os argumentos canenses, o que não significa que esteja de acordo com a criação de mais um concelho. O tempo é de encerrar e não de abrir. Encerram-se escolas, centros de saúde, maternidades, urgências... se calhar também se encerrarão concelhos e, nesse caso, Carregal seria um bom candidato, se quisermos utilizar os mesmos critérios que alguns usam para justificar a decisão de veto do Presidente da República no caso de Canas.

Micas10 disse...

Parabéns aos bons estudantes de Canas. Educação sim, esse é um investimento com futuro

nelly disse...

a verdade é só uma. durante muitos anos a vila de canas.
pouco evoluiu.
mas será com esta nova presidente da câmara as coisas não serão difentes??????
esperaremos que sim

canas a concelho....., acho que nunca. isto ta mau

Enviar um comentário