Está a ler o arquivo 2005-2009 do Beijós XXI. A partir de 2010, o blogue passou a ser publicado no endereço http://beijozxxi.blogspot.com

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Governo dá tolerância de ponto

No dia 26 de Dezembro os funcionários públicos estão dispensados
O primeiro-ministro, José Sócrates, concedeu tolerância de ponto aos funcionários públicos no próximo dia 26, em virtude do período natalício, refere um despacho do chefe do Governo a que a agência Lusa teve acesso.
No despacho, o primeiro-ministro refere que, «considerando que é tradicional a deslocação de muitas pessoas para fora dos seus locais de residência no período natalício, tendo em vista a realização de reuniões familiares», mas também «a prática que tem sido seguida ao longo dos anos», determina-se a tolerância de ponto «aos funcionários e agentes do Estado, dos institutos públicos e dos serviços desconcentrados da administração central».
No entanto, são exceptuados da tolerância de ponto «os serviços e organismos que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período em termos a definir pelo membro do Governo competente».
Para os casos de trabalhadores que tiverem de comparecer no próximo dia 26, o despacho do primeiro-ministro adianta ainda que, «sem prejuízo da continuidade e qualidade do serviço a prestar, os dirigentes máximos dos serviços e organismos» (. . .) «promoverão equivalente dispensa do dever de assiduidade aos respectivos funcionários e agentes em dia ou dias a fixar oportunamente».

21 Beijos:

mfc disse...

A Bem da Nação...

hawk76 disse...

Igualdade para o sector privado, já!!!!

ché disse...

O que está a vermelho é que dá para rir.

jbatista disse...

Façam mais greves e manifestações. Eu se quero esse dia tenho que por um dia de férias. E pago eu um dinheirão por mês para entre outras coisas pagar os vencimentos desses tipos que vão ficar a dormir no dia 26.

roger.a disse...

Talvez não seja grande o prejuízo, pq o ano é grande para o reparar e recuperar a produtividade, se houver vontade.

Estar no trabalho pode ser diferente de estar a trabalhar !

beijokense disse...

@jbatista
Estás contra os funcionários ou contra quem assinou o despacho?

jbatista disse...

contra quem assinou claro. Os funcionarios não têm culpa. Só aproveitam. Se fosse eu fazia o mesmo, aproveitava estes dias de folga.

Tadeu disse...

em contrapartida assim é possível que haja mais pessoas:
- a viajar,
- a consumir no interior do país,
- a visitar os familiares,
- mais bem-dispostas,
- motivadas.

sweet disse...

Com papas e bolos...

ché disse...

Tadeu e se tirassem um dia de férias , como eu vou tirar não podiam fazer o mesmo?

peixeira disse...

«os bancários vão poder gozar tolerância de ponto dia 26, ou, em alternativa, dia 29 ou dia 2»
Isto é sector privado, não?

Há empresas em Beijós que dão tolerância aos trabalhadores em dias supostamente úteis:
3ª-feira Gorda (e até 2ª)
2ª-feira de Páscoa
S. João
2ª-feira das Festas de Agosto

Quanto ao despacho do Primeiro Ministro, é um tiro no pé para um Governo que tanto se preocupa com os "furos" no secundário, instituindo depois furos por despacho :)
São indicadores de governação populista - bastas vezes, os membros do Governo alimentam a imagem negativa que os cidadãos têm dos funcionários e viram a opinião pública contra os mesmos, depois compensam com estes tolerantes rebuçados.
Os funcionários poderiam fazer como o Ché, tirar um dia... afinal, graças a S. Guterres, têm mais dias para "tirar" do que os do sector privado.

viveiros-batista disse...

neste pais a história é sempre a mesma, os do contra têm sempre algo a dizer. noutras ocasiões em que o governo não deu tolerancia de ponto, criticaram, agora deu tolerancia de ponto voltam a criticar.
organizem-se para bem deste pais.

roger.a disse...

Viveiros Batista é que está certo...
"no mínimo,contestar é sinal de estar vivo"

Tadeu disse...

É claro que quem quizesse ir passar uns dias "à terra" podia sempre tirar um dia de férias.

Nem sequer é isso que está em questão, pois seria bem mais díficil aos serviços organizarem as férias do seu pessoal se todos quizessem tirar um dia de falta por conta do período de férias.

O que eventualmente interessa mais é saber se temos um bom serviço da Administração Pública em geral, independentemente de terem o dia X ou Y de "cabaz de Natal". É minha opinião que não. No entanto como em tudo não devemos "confundir a árvore com a floresta", é sempre injusto generalizar, existem muitos funcionários da Administração que fazem um serviço excelente ao nível do seus omólogos dos restantes países da União Europeia, fazem a sua função a metade ou preço dos seus colegas Franceses ou Alemães.

A questão de que alguém paga com os "seus impostos" o ordenado dos funcionários da Administração Pública, é bem verdade no entanto é suposto ter em troca toda uma panóplia de serviços, como seja a segurança, a educação, a saúde, a organização social, a previdência social, etc. Se estes tipos de serviços que o cidadão obtém em troca dos seus impostos não são os melhores, é outra questão. É para isso que se elegem os líderes que têm por missão administrar os dinheiros públicos de modo a rentabilizar o nível de vida das populações em geral.

Há ainda que referir que os trabalhadores das empresas privadas também obtêm o seu ordendado porque os clientes (funcionários públicos e trabalhadores do sector privado) adquirem os produtos ou serviços produzidos pela sua firma. Logo todos são pagos por todos.

Micas10 disse...

Tolerância de ponto ou ponto à tolerância ?
A tradicional tolerância de ponto continua a ser intocável, apesar da crise persistente. Portugal gasta mais com a Administração Pública que a maior parte dos outros países europeus. E temos que admitir que estamos pouco bem servidos, pois a nossa burocracia é opaca, a justiça está paralizada, os estudantes ficam mal nos examentes internacionais, etc.
Luxemburgo é o país que gasta menos com a Administração Pública e também o que tem o rendimento per capita mais elevado.
Até apetecia EMIGRAR, mas só se fosse apenas uma emigração virtual. Eu já lá morei e descobri que chove "30 sur 30" como eles dizem. Por isso o Luxemburgo se considera o "coração verde da Europa".
E verde por verde, eu prefiro Beijós!

beijokense disse...

Para algumas coisas, dizem-nos que os modelos finladês e dinamarquês é que são bons, para outras já não servem?
Mesmo usando o indicador gastos com pessoal da 'função' pública em % do PIB (que não é o ideal dada a nossa miséria produtiva), temos % consideravelmente inferiores aos países nórdicos.
N.B. O Luxemburgo tem um PIB desproporcionado e, por isso, todos os indicadores que se baseiem no PIB encontram no Luxemburgo um valor fora da norma.

Micas10 disse...

Claro que escolhemos modelos diferentes para cada coisa.
Claro que o Luxemburgo não é grande exemplo.
E claro que as tolerâncias de ponto são apenas um dos luxos unsustentáveis que vamos gozando de um lado, e pagando do outro.

imigrante disse...

Aquele Sr. que me fez ir trez vezes a seccao de financas ao Carregal,tambem teve tolerancia de ponto?
Apenas por uma foto copia.
Porque nao o poem na rua por indecente e ma figura. Sera afilhado do chefe de financas?
Ja passaram 16 anos e o figurao, continuara a fazer a mesma figura?
De certo que quer aumento de ordenado.E talvez subir de categuria.
Ah dias tive que ir, a seccao de financas ca da zona, por causa de um assemento nos impostos, a funcionaria, antes de eu abrir a boca. Saiu logo com a simpatica
frase!...Em que te posso ajudar?
2 minutos foi o necessario, para ser informado e pagar.
Outras terras outras gentes.
O Sr."CORREIA" nao teria deixado, algo da sua "Simpatia" nesse departamento? Ou apenas o lugar!...
Ha funcionarios diligentes.
Mas como eu sou um azarento, tenho encontrado cada um. Alguem um dia me informou,disso aparece sempre.

Espero que esse seja reformado, com uma reforma igual
a minha que eu tenho ai.
So assim os que ficam, poderam aumentar a producao, e tirar o pais do buraco. Sao eles que absorvem a maior verva,e assim evitar que quem trabalha, tenha que ir assistir, ou melhor justificar que esse e outros do mesmo quilate, teem muito trbalho.
Ate teem tempo para discutir bola.
Uma foto copia, que me custou trez dias de trabalho, trez almocos fora de casa.Contabilizando, hoje
e pelo barato, cerca de 150 euros.
E ainda por cima tive que agradecer!...Basta!...

imigrante disse...

A aonde se le verva ,deve ler-s verba, e mais adiante, trabalho.

beijokense disse...

Pensando melhor, eu acho que o problema do Luxemburgo não é o PIB, é o per capita :)
Eles devem ter-se esquecido de contar alguém!
Senão vejamos:
Cada Luxemburguês consome em média 12,6 litros (30% mais do que um Português) de álcool puro por ano, o que equivale a 2 Super Bock por dia!!
Contando apenas o vinho, o consumo dos luxemburgueses é 18cl/dia e dos portugueses uns míseros 11cl.
Portanto, Micas10, temos 2 alternativas:
1. Riscar o Luxemburgo das comparações internacionais
2. Subscrever a conclusão de que o consumo de álcool aumenta a produtividade

P.S. se optares pela opção 1, então o modelo de desenvolvimento são os países nórdicos e esses, cumulativamente,
a) têm > % de população activa na administração pública
b) gastam + na administração pública

Anónimo disse...

No dia 26 hà muitos Funcionários Publicos a trabalhar e tambèm descontam e muito, não sejam injustos.
Deixem de criticar e lutem pelos vossos direitos, pois se este governo ganhar a batalha contra os Funionárias Publicos, pobre dos do sector privados, são os que vão sufrer mais, vão perder muitos maisdireitos, os funcionários publicos são as cobais, para depois este governo atacar os trabalhadores do sector privado.
TEMOS QUE LUTAR PRLOS NOSSOS DIREITOS; TODOS JUNTOS: (ABRE O OLHO).

Enviar um comentário